PLANETA SUSTENTÁVEL

ENCONTRAR OS LIVROS DE WAGNER LUIZ MARQUES - DIGITANDO O NOME DE "WAGNER LUIZ MARQUES"


Pesquisar todo o texto de nossos livros

EDITORA QUANTUM – TREINAMENTOS

Editora Quantum 480 x 60

INVESTE MAIS – A REVISTA DO INVESTIDOR

Amostra Grátis 480 x 60 - www.revistainvestmais.com.br

REVISTA LIDERANÇA

Amostra Grátis 480 x 60  - www.lideraonline.com.br

REVISTA VENDA MAIS

Amostra Grátis 480 x 60 - www.vendamais.com.br

segunda-feira, 21 de maio de 2012

SUSTENTABILIDADE HUMANA

SUSTENTABILIDADE, RESPONSABILIDADE E DIVERSIDADE

  • A revolução tecnológica eliminou distâncias e multiplicou a troca de informações via televisão, jornais, rádio, telefone e internet.
  • A revolução educacional busca continuada de conhecimento.
  • A revolução cívica promoção social e a proteção ambiental.

SUSTENTABILIDADE

Sustentabilidade é o conjunto de práticas adotadas que visam a diminuir os impactos gerados pelas atividades humanas que poderiam prejudicar o meio ambiente.

Aquecimento global é o agravamento do efeito estufa provocados pelas ações humanas. O efeito estufa em si é um fenômeno natural responsável pela manutenção da temperatura terrestre em níveis compatíveis com a vida. Já o aquecimento global é uma forma de aumento neste efeito provocado pelas emissões de gás carbônico e outros em quantidades muito superiores a que o planeta pode suportar o que tem gerado uma série de mudanças climáticas no mundo inteiro.

Estes fatores juntos servem para reafirmar que seremos atingidos pelas mudanças climáticas caso não façamos algo como sociedade para combater tais efeitos. Ai é que entra o conceito de sustentabilidade.

A adoção prática sustentáveis nas empresas, inclusive as micro e pequenas, é vital como parte do processo de tentar anular ou pelo menos diminuir o ritmo dessas mudanças climáticas que estamos presenciando.

Sustentabilidade é ver o que é melhor para as pessoas e para o ambiente tanto agora como para um futuro indefinido. Sustentabilidade é: "suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas".

Sustentabilidade é:

  • Combate à pobreza.
  • Mudança dos padrões de consumo.
  • Habitação adequada.
  • Integração entre meio ambiente e desenvolvimento na tomada de decisões.
  • Abordagem integrada do planejamento e do gerenciamento dos recursos terrestres.
  • Combate ao desflorestamento.
  • Manejo de ecossistemas frágeis: a luta contra a desertificação e a seca.
  • Promoção do desenvolvimento rural e agrícola sustentável.
  • Conservação da diversidade biológica.
  • Manejo ambientalmente saudável dos resíduos sólidos e questões relacionadas com os esgotos.

Gestão Sustentável é a capacidade para dirigir o curso de uma empresa, comunidade, ou país, por vias que valorizam, recuperam todas as formas de capital, humano, natural e financeiro de modo a valorizar o lucro.

Sustentabilidade não é ambientalismo nem apenas ambiente, mas sim um processo de equilíbrio entre os objetos econômicos, financeiros, ambientais e sociais. São práticas e ações sociais que seguem um padrão determinado no espaço. Refere-se a crenças, comportamentos, valores, instituições, regras morais que permeiam e identificam uma sociedade. Explica e dá sentido à cosmologia social.

A evolução cultural é mais rápida do que a biológica. Por essa razão é melhor a sociedade se conscientizar para praticar a sustentabilidade pela adaptação da cultura, do que esperar o meio biológico adaptar a sua mudança no meio ambiental.

IMPORTÂNCIA DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

Durante o período da chamada Revolução industrial não havia preocupação com a questão ambiental.

A partir da escassez dos recursos naturais, somado ao crescimento desordenado da população mundial e intensidade dos impactos ambientais, surge o conflito da sustentabilidade dos sistemas econômico e natural, e faz do meio ambiente um tema literalmente estratégico e urgente.

O grande desafio da humanidade é promover o desenvolvimento sustentável de forma rápida e eficiente. Diz-se que uma rã posta na água fervente saltará rapidamente para fora, mas se a água for aquecida gradualmente, ela não se dará conta do aumento da temperatura e tranqüilamente se deixará ferver até morrer.

Situação semelhante pode estar ocorrendo conosco em relação à gradual destruição do ambiente natural. Hoje, grande parte da sociedade se posiciona como mero espectador dos fatos, esquecendo-se de que somos todos responsáveis pelo futuro que estamos modelando.

É essencial entendermos que um meio ambiente saudável é condição necessária para nosso bem-estar, o funcionamento da economia e, enfim, a sobrevivência da vida na terra. Daí a importância das organizações conduzirem e planejarem seus negócios de forma sustentável.

Desenvolvimento Sustentável um modelo econômico, político, social, cultural e ambiental equilibrado, que satisfaça as necessidades das gerações atuais, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades.

Sustentabilidade divide-se em sete aspectos:

  • Sustentabilidade Social melhoria da qualidade de vida da população, eqüidade na distribuição de renda adequada e de diminuição das diferenças sociais.
  • Sustentabilidade Econômica investimentos públicos e privados, equilíbrio de balanço de pagamento, acesso à ciência e tecnologia.
  • Sustentabilidade Ecológica o uso dos recursos naturais deve minimizar danos aos sistemas de sustentação da vida: redução dos resíduos tóxicos e da poluição, reciclagem de materiais e energia, conservação, tecnologias limpas e de maior eficiência e regras para uma adequada proteção ambiental.
  • Sustentabilidade Cultural respeito aos diferentes valores entre os povos e incentivo a processos de mudança que acolham as especificidades locais.
  • Sustentabilidade Espacial equilíbrio entre o rural e o urbano, equilíbrio de migrações, desconcentração das metrópoles, envolvendo práticas agrícolas mais inteligentes e não agressivas à saúde e ao ambiente, manejo sustentado das florestas e industrialização consciente.
  • Sustentabilidade Política democracia representativa para sistemas participativos, construção de espaços públicos comunitários, maior autonomia dos governos locais e descentralização da gestão de recursos.
  • Sustentabilidade Ambiental conservação geográfica, equilíbrio de ecossistemas, erradicação da pobreza e da exclusão, respeito aos direitos humanos e integração social.

RESPONSABILIDADE

Responsabilidade significa capacidade de assegurar, responder firmemente.

Responsabilidade Social hoje se tornou parte integrante do posicionamento e da imagem de marca. É uma nova maneira de conduzir os negócios da empresa, tornando-a parceira e co-responsável pelo desenvolvimento social, englobando preocupações com um público maior (acionistas, funcionários, prestadores de serviço, fornecedores, consumidores, comunidade, governo e meio-ambiente).

A ética é à base da Responsabilidade Social e se expressa através dos princípios e valores adotados pela organização, sendo importante seguir uma linha de coerência entre ação e discurso.

Definição para o termo responsabilidade social é a forma de retribuir a alguém, por algo alcançado ou permitido, modificando hábitos e costumes ou perfil do sujeito ou local que recebe o impacto.

Exemplificando o termo Responsabilidade Social é analisar uma empresa que patrocina um time de futebol ou vôlei que supostamente tem condições de se manter sozinho é responsabilidade social, desde que o grupo, a qual o patrocínio tenha relevância social, proporcionando acesso a educação, esporte, cultura, entre outros a comunidade local envolvida.

Responsabilidade social é evitar o desperdício de energia, matérias-primas em geral e água, etc. Colocar o lixo em local e forma apropriados (coleta seletiva), reduzir o barulho na vizinhança, incentivar a economia de energia, essas iniciativas são fontes geradoras que colaboram com a geração de lucros e de ganhos, mas não é o suficiente, precisa-se muito mais, conforme apresentará no decorrer da matéria.

A conscientização leva a empresa a desenvolver ações de preservação ambiental.

Campanhas, bem como a participação em iniciativas de educação ambiental, são ações que a empresa pode executar, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida no local em que vivemos.

Responsabilidade Social Corporativa é o conjunto de ações que beneficiam a sociedade e as corporações que são tomadas pelas empresas, levando em consideração a economia, educação, meio-ambiente, saúde, transporte, moradia, atividades locais e governo. Criando programas sociais, trazendo benefício à empresa e a comunidade, melhorando a qualidade de vida dos funcionários, quanto da sua atuação da empresa e da própria população.

Responsabilidade Ambiental é uma forma de gerenciamento procurando reduzir as agressões ao meio ambiente e promover a melhoria das condições ambientais. As empresas dependem de insumos do meio ambiente para realizar suas atividades.

Responsabilidade Social Empresarial é a forma de gestão ética e transparente que tem a organização com suas partes interessadas, de modo a minimizar seus impactos negativos no meio ambiente e na comunidade. Ser ético e transparente quer dizer conhecer e considerar suas partes interessadas objetivando um canal de diálogo.

Ética nos negócios ocorre quando as decisões de interesse de determinada empresa também respeitam o direito, os valores e os interesses de todos aqueles que, de uma forma ou de outra, são por elas afetados. Uma empresa pode oferecer o melhor produto ou serviço imaginável para seus consumidores e clientes, mas não se preocupar com a poluição que gera no meio ambiente, isso demonstra falta de ética.

Transparência é outro conceito que muito tem a ver com ética. A falta de transparência na condução dos negócios pode prejudicar não só clientes e consumidores, mas também a própria empresa. Sonegar uma informação importante sobre seus produtos e serviços, poderá ser responsabilizado, mais tarde, por omissão.

Responsabilidade Social Empresarial, portanto, diz respeito à maneira como as empresas realizam seus negócios: os critérios que utilizam para a tomada de decisões, os valores que definem suas prioridades e os relacionamentos com todos os públicos com os quais interagem.

DIVERSIDADE

PRECONCEITO

É uma postura ou idéia pré-concebida, uma atitude de alienação a tudo aquilo que foge dos “padrões” de uma sociedade. As principais formas são: preconceito racial, social e sexual. O preconceito leva à discriminação, à marginalização e à violência.

Segundo Bob Marley em um de seus comentários, com sua forma de expressar disse: Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.

ETNIA

Representa a cultura e a consciência de um grupo de pessoas que se diferencia dos outros.

A etnia não é um conceito fixo, pode mudar de acordo com a miscigenação cultural.

Fatores que classificam a Etnia

  • A Língua
  • A Cultura

Classificação das Etnias no Brasil

  • Os nativos.
  • Os portugueses.
  • Os negros africanos.
  • A intensa imigração européia.
  • A entrada de imigrantes oriundos de várias origens, especialmente vindos da Ásia e Oriente Médio.

Indígenas, grupo étnico que habitava o território brasileiro antes da chegada dos portugueses.

Brancos, a grande maioria da população branca tem origem européia ou são descendentes desses.

Negros, essa etnia foi forçada a migrar para o Brasil, uma vez que vieram como escravos para atuar primeiramente na produção do açúcar e mais tarde na cultura do café.

Pardos, etnia formada a partir da junção de três origens: brancos, negros e indígenas, formando três grupos de miscigenação.

Mulatos, correspondem à união entre brancos e negros.

Caboclos, representa a descendência entre brancos e indígenas.

Cafuzos, esse grupo é oriundo da união entre negros e índios.

MANIFESTAÇÕES CULTURAIS

Promove a culinária do país, suas diversidades,  danças,  musicas, línguas, portanto a formulação da política nacional de cultura são: promover o diálogo pleno entre a moda e as demais linguagens artísticas e expressões; preservar a memória da moda nacional; apoiar e promover a pesquisa e a formação profissional; e fomentar sua produção.

DIVERSIFICAÇÃO RELIGIOSA

Até os anos 1980, o perfil religioso da população brasileira era fundamentalmente a religião católica, desde a época colonial. No entanto, entre 1980 e 1991, a supremacia católica começa a sofrer fissuras. Nesse período, os católicos perdem espaço para os evangélicos e para os que se declaram sem religião. Os evangélicos crescem sendo os pentecostais o principal motor desta transformação, segundo dados extraídos do site do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Do que podemos concluir é que esse processo de mudanças religiosas, está relacionado a três elementos fundamentais da dinâmica da ocupação do território brasileiro:

  • A preexistência de espaços não-católicos ligados à história do povoamento.
  • O avanço de frentes pioneiras, onde os pastores pentecostais encontram terreno favorável junto a uma população migrante desenraizada
  • A urbanização acelerada que favorece o surgimento de novas religiões, ou a difusão de religiões vindas do exterior.

Existem muitos povos, de muitas raças, falando várias línguas. Mas, para eles, só existe um sol, uma lua e uma mãe terra. Somos parte um do outro, pela vontade do Grande Espírito, por isso para que brigar por uma religião se o Deus é único.  

DEFICIÊNCIA

É o termo usado para definir a ausência ou a disfunção de uma estrutura psíquica, fisiológica ou anatômica. Pessoa com deficiência pode ser aplicada referindo-se a qualquer pessoa que possua uma deficiência.

A pessoa com deficiência geralmente precisa de atendimento especializado, para fins terapêuticos, como fisioterapia ou estimulação motora, para que possa aprender a lidar com a deficiência e a desenvolver as potencialidades. A Educação especial tem sido uma das áreas que tem desenvolvido estudos científicos para melhor atender estas pessoas, no entanto, a educação regular passou a se ocupar também do atendimento de pessoas com necessidades educativas especiais, o que inclui pessoas com deficiência além das necessidades comportamentais, emocionais ou sociais.

Modernamente, surgiu o termo necessidades educativas especiais, que veio a substituir o termo criança especial, anteriormente utilizado em educação para designar a criança com deficiência. Porém, este novo termo não refere-se apenas à pessoa com deficiência, pois engloba toda e qualquer necessidade considerada atípica e que demande algum tipo de abordagem específica por parte das instituições, seja de ordem comportamental, seja social, física, emocional ou familiar.

Inclusão Social

A inclusão social tem por base que a vigência dos direitos específicos das pessoas com deficiência está diretamente ligada à vigência dos direitos humanos fundamentais.

Inclusão social das pessoas com deficiência

Incluir quer dizer fazer parte, inserir, introduzir. E inclusão é o ato ou efeito de incluir. Assim, a inclusão social das pessoas com deficiências significa torná-las participantes da vida social, econômica e política, assegurando o respeito aos seus direitos no âmbito da Sociedade, do Estado e do Poder Público.

  • Direitos Civis, direito à liberdade e segurança pessoal; à igualdade perante lei; à livre crença religiosa; à propriedade individual ou em sociedade; e o direito de opinião (Art. 3° ao 19).
  • Direitos Políticos, liberdade de associação para fins políticos; direito de participar do governo; direito de votar e ser votado (Arts. 20 e 21).
  • Direitos Econômicos, direito ao trabalho; à proteção contra o desemprego; à remuneração que assegure uma vida digna, à organização sindical; e direito à jornada de trabalho limitada (Arts. 23 e 24).
  • Direitos Sociais, direito à alimentação; à moradia; à saúde; à previdência e assistência; à educação; à cultura; e direito à participação nos frutos do progresso científico (Art.25 ao 28).

LGBT

A Sigla LGBT advém das palavras Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgeneros (Travestis e Transexuais). Ela foi introduzida no Brasil pela Associação da Parada do Orgulho de LGBT de São Paulo, a maior do mundo.

A tentativa do movimento é unificar numa sigla que designe todos os mais importantes segmentos de homossexuais, Bissexuais e até heterossexuais (Transexuais) com a sigla LGBT.

Explicação de alguns termos LGBT

  • Heterofobia consiste nas reações de medo e de ódio tidas por pessoas homossexuais em relação a pessoas heterossexuais.
  • Heterossexual, pessoa que se sente atraída física, emocional e espiritualmente por pessoas de sexo diferente do seu.
  • Bissexual (Bi), pessoa que se sente atraída fisicamente, emocionalmente e espiritualmente por pessoas quer do mesmo sexo quer por pessoas de sexo diferente.
  • DST, sigla para Doenças Sexualmente Transmissveis.
  • Drag, diz respeito à adaptação de roupas e de papéis que tradicionalmente estão relacionadas com um sexo diferente do seu.
  • Gay, diz-se de um homem que se sente atraído fisicamente, emocionalmente e espiritualmente por um outro homem. Usado por vezes como sinônimo de homossexual. Em inglês o termo gay engloba tanto o homem homossexual como a mulher homossexual.
  • Homofobia, termo usado para definir o medo irrealista ou irracional ou como uma aversão à homossexualidade. A Homofobia é uma doença social que se tem vindo a prolongar devido aos estereótipos negativos e aos conceitos errados associados geralmente à homossexualidade. A homofobia pode levar ao ódio, à discriminação e à violência contra homossexuais e bissexuais.
  • Homofobia internalizada, pessoa que não se aceita. Há pessoas que chegam mesmo a tentar o suicídio como resultado da homofobia internalizada. Isto pode levar a sentimentos complexos e pode ter um grande impacto na auto-estima, podendo provocar depressões e ansiedade.
  • Homossexual, diz-se de uma pessoa que se sente atraída fisicamente, emocionalmente e espiritualmente por uma pessoa do mesmo sexo.
  • Hermafrodita ou Intersexuado, Pessoa que tem órgãos genitais (internos e/ou externos), quer masculinos, quer femininos.
  • Lésbica, diz-se de uma mulher que se sente atraída fisicamente, emocionalmente e espiritualmente por outra mulher.
  • Movimento Gay, também conhecido por movimento LGBT.
  • Orientação Sexual é a atração física ou sexual de um indivíduo a um gênero em particular.
  • Passivo, diz-se daquele que é penetrado no sexo anal.
  • Sair do armário, passagem voluntária de um estado de confusão e negação para um estado de autenticidade, identificando-se perante si e perante os outros como gay, lésbica, bissexual e/ou transgênero.
  • Triângulo Negro, símbolo nazista para identificar lésbicas, prostitutas, mulheres sem crianças e aquelas com peculiaridades "anti-sociais". Semelhante ao triângulo rosa, o triângulo negro tornou-se tanto num símbolo do orgulho lésbico como do feminismo.
  • Triângulo Rosa, símbolo criado para identificar os homossexuais masculinos nos campos de concentração nazista. Tornou-se num símbolo do orgulho gay e foi usado pela primeira vez para relembrar a judeus homófobos que os homossexuais também estiveram nos campos de concentração.

MOBILIZAÇÃO SOCIAL

É um processo educativo que promove a participação de muitas e diferentes pessoas em torno de um propósito comum. A mobilização social é um modo de construir a democracia e a participação. É um modo de construir um país em que todos promovem uma vida digna para todos.

Mobilização Social é o envolvimento ativo do cidadão, da organização social, da empresa nos rumos e acontecimentos em nossa sociedade.

A participação da sociedade garante um maior controle das políticas públicas. Permitir o acesso aos instrumentos disponíveis no Estado tais como saúde, educação, moradia entre outros é uma das principais ferramentas para a sustentabilidade no combate à pobreza no país.

SOLIDARIEDADE

São valores morais socialmente constituídos vistos como virtude do indivíduo.

TRABALHO VOLUNTÁRIO

É toda atividade desempenhada no uso e gozo da autonomia do prestador do serviço sem recebimento de qualquer contraprestação que importe em alguma remuneração. Ele tem se tornado um importante fator de crescimento das Organizações Não Governamentais, componentes do Terceiro Setor. É graças a esse tipo de trabalho que muitas ações da sociedade organizada têm suprido o fraco investimento ou a falta de investimento governamental em educação, saúde, lazer, etc.

O trabalho voluntário é uma experiência aberta a todos. Voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos.

Mobilizam em direção ao trabalho voluntário, desenvolvem dois componentes fundamentais:

  • O de cunho pessoal, a doação de tempo e esforço como resposta a uma inquietação interior que é levada à prática
  • O de cunho social, a tomada de consciência dos problemas ao se enfrentar com a realidade, o que leva à luta por um ideal ou ao comprometimento com uma causa.

Ações do voluntariado

  • Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária.
  • No voluntariado, todos ganham: o voluntário, aquele com quem o voluntário trabalha, a comunidade.
  • Voluntariado é uma ação duradoura e com qualidade.
  • As formas de ação voluntária são tão variadas quanto as necessidades da comunidade e a criatividade do voluntário.
  • Voluntariado é ação.
  • Voluntariado é escolha, cada um contribui na medida de suas possibilidades, com aquilo que sabe e quer fazer. Uns têm mais tempo livre, outros só dispõem de algumas poucas horas por semana. Alguns sabem exatamente onde ou com quem querem trabalhar. Outros estão prontos a ajudar no que for preciso, onde a necessidade é mais urgente. Cada compromisso assumido, no entanto, é para ser cumprido.
  • Voluntariado é um fenômeno mundial.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MARQUES, Wagner Luiz. DIÁRIO DE UM EMPREENDEDOR - A REAL INFORMAÇÃO PARA OS GESTORES DE SUCESSO. Gráfica Vera Cruz. Cianorte – Paraná e http://books.google.com.br/.  .
MARQUES, Wagner Luiz. CONTABILIDADE GERENCIAL A NECESSIDADE DAS EMPRESAS. Gráfica e Editora Bacon Ltda. Cianorte.  2004.

BIBLIOGRAFIAS

ANTONY, Rbert N. Introdução à Contabilidade Gerencial, Tradução Luiz Aparecido Caruso, Activity - Based - Costing (ABC), A poderosa estratégia Empresarial, São Paulo, Editora     Pioneira,1994.
CALDERELLI, Antonio. Enciclópedia contábil e comercial brasileria, CETEC, São Paulo, 1999.
CREPALDI, Silvio Crepaldi, Contabilidade Gerencial, Ed. Atlas, São Paulo, 1999.
CRC-SP e IBRACON - Curso de Contabilidade Gerencial, São Paulo, Atlas, 1993.
Equipe de Professores da USP - Contabilidade Introdutória.
FIGUEIREDO, Sandra e Caggiano, Paulo Cesar - Controladoria (teoria e pratica) - São Paulo,      Atlas, 1992.
FIPECAPI, Manual de Contabilidade das S/A. São Paulo: Atlás.
FIPECAF, Manual de Contabilidade das Sociedades por Açoes, aplicavel também as demais sociedades, 3ª edição, São Paulo  Atlas, 1991
FRANCO, Hilario. Contabilidade Comercial. Ed. Atlas
FRANCO, Hilario - Contabilidade Geral.
HORNGREN, Charles T. Introdução à contabilidade gerencial.
LUIZ, Sinclayr. Organização e Técnica Comercial. São Paulo: Editora Saraiva, 1994.
MAGALHÃES, Antonio de Deus F. et all. Sistemas Contábeis, São Paulo, Editora Atlas, 2000.
MUSSOLINI,Orru - Contabilidade Geral: Fundamentos. SãoPaulo: Scipione, 1990.
PIZZOLATO, Nélio D., Introdução à contabilidade Gerencial, Edit. Makron Books, São Paulo, 1999.
RIBEIRO, Osni Moura - Contabilidade Básica.
RIBEIRO, Osni Ribeiro. Contabilidade Comercial Fácil. Ed.Saraiva
SÁ, A. Lopes. Plano de Contas. São Paulo: Ed. atlás. 6ª Ed. 1989.
SLACK, Nigel, et all. Administração da Produção. Editora Atlas, São Paulo, 1999.
STANDERSKI, Wlademiro. Contabilidade Aplicada à Empresa.São Paulo: pioneira.
Treinamento Programado da IOB. Curitiba.
WALTER, M. Augusto. Normas Contábeis. Atlás.

Professor Dr. Wagner Luiz Marques e Família para todos os leitores de meus artigos. Obrigado.

Endereços eletrônicos: wagnercne1@gmail.com; wlmcne@hotmail.com; Endereço por correspondência: Wagner Luiz Marques Rua Fernão Dias, 1994 Zona 01 CEP- 87.200-000 Cianorte – Paraná. Telefone: 44-3629-5578 - Celular: 44-9977-6604.


PALAVRAS-CHAVE: EDUCAÇÃO; QUALIDADE; VONTADE; ENTUSIASMO; FORÇA; EXCELÊNCIA; PROFESSOR; MERCOSUL; REVALIDAÇÃO; DOUTORADO; MESTRADO.