PLANETA SUSTENTÁVEL

ENCONTRAR OS LIVROS DE WAGNER LUIZ MARQUES - DIGITANDO O NOME DE "WAGNER LUIZ MARQUES"


Pesquisar todo o texto de nossos livros

EDITORA QUANTUM – TREINAMENTOS

Editora Quantum 480 x 60

INVESTE MAIS – A REVISTA DO INVESTIDOR

Amostra Grátis 480 x 60 - www.revistainvestmais.com.br

REVISTA LIDERANÇA

Amostra Grátis 480 x 60  - www.lideraonline.com.br

REVISTA VENDA MAIS

Amostra Grátis 480 x 60 - www.vendamais.com.br

domingo, 10 de março de 2013

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL


Orçamento pessoal e familiar

Os indivíduos, em nome do seu equilíbrio pessoal e do desenvolvimento social, precisam saber gerir os seus recursos. Para isso necessita saber fazer gestão orçamentária. O orçamento deve identificar as prioridades e as necessidades correntes, aprendendo a refletir sobre as escolhas, estabelecendo metas e prioridades para as despesas extraordinárias, disciplinando o uso do crédito dentro das suas possibilidades. Alcançar metas pré-estabelecidas pode ser muito simples se seguir alguns passos básicos. O mais importante é ter um plano e um orçamento.

O orçamento é uma radiografia do estado financeiro. Ele permite ter um controle das finanças e identificar exatamente onde esta sendo gasto o dinheiro. Dessa maneira, pode-se definir prioridades e fazer mudanças necessárias.

A preparação de um orçamento também ajudará comparar a forma mais inteligente, já que permite planejar para comprar aquilo que se deseja.

Para iniciar um orçamento pessoal é necessário melhorar a atitude. Quando fizer isso, conseguirá atingir tudo aquilo que deseja, e com a decisão de iniciar um orçamento, ficará com as bases para uma gestão financeira de sucesso.

Mudar a atitude é iniciar um plano orçamentário, mas não será suficiente avançar em direção a um hábito de orçamento. Para se manter motivado, deve traçar objetivos, principalmente em poupar os valores financeiros que conseguir reservar.

O orçamento para ser bem desenvolvido primeiramente precisa utilizar o salário bruto para calcular as receitas anuais. Depois decidir qual a percentagem que deseja poupar por mês ou por ano e qual a razão para essa poupança. Os objetivos podem ser:

  • Quanto poupar para umas férias?
  • Para reforma? e etc.

Estabeleça também o objetivo de cortar despesas.

Com o orçamento sendo desenvolvido os resultados pretendidos, podem ser realizados dessa forma:

  • A compra de roupas mais incrementadas;
  • A realização de uma viagem inédita junto com a família; e,
  • Sobretudo visualizar os resultados com o maior detalhe possível.

Para fazer o orçamento adequado necessita realizar o habito de manter um orçamento, mesmo levando de quatro a seis semanas, dedicando alguns minutos diariamente para apontar as despesas e planejar os próximos meses.

Agendar quinze minutos todos os dias para focar exclusivamente no orçamento pessoal. Usar um simples caderno e utilizá-lo para ir resistindo às tentações de gastar dinheiro com produtos que raramente utiliza ou não tem necessidade.

Anote as suas falhas, tais como não esquecer o planejamento para os impostos ou caindo na tentação de gastar com produtos que estão fora do planejamento.

Realizando estas ações proporcionará correções pessoais, pois quando grava um fracasso, é preciso anotar o que faria de diferente para evitar repetir os erros. Á medida que escreve em um diário, visualiza os resultados positivos. Lembre-se que nos tornamos aquilo que as nossas mentes vêem e devemos ver o sucesso e não o fracasso.

As atribuições necessárias para elaborar e administrar um orçamento pessoal é:

Saber que viver em uma sociedade de consumo e como tal o consumo é parte integrante da vida quotidiana do ser humano, tomando uma porção significativa do tempo e das finanças pessoais. As pessoas devem tomar consciência de que vive em um mundo de necessidades e desejos devendo hierarquizá-los. Tal como planejar o tempo e as atividades profissionais e de lazer. Deve-se igualmente planejar o orçamento pessoal, gerir as finanças no dia a dia, na semana e no mês e, avaliar as consequências das decisões.

Precisa ponderar riscos financeiros para obter uma gestão individual criteriosa. As pessoas devem fazer uma análise individual dos riscos financeiros antes de proceder à aquisição de um bem e mostrar que compreenderam a natureza desses riscos, como pretendem promover os seus interesses econômicos e o respectivo quadro de direitos, enquanto consumidor.

Elaboração do orçamento pessoal

O primeiro passo é conhecer rigorosamente todos os gastos.

Mesmo sabendo que não existe um modelo ideal de classificação para as despesas pessoais, identificará um modelo básico do orçamento financeiro:

Anotem apenas o que recebe

Receitas
Salário: R$
Aluguel: R$
Pensão: R$
Horas extras: R$
Outras receitas 1: R$
Outras receitas 2: R$

Anotem apenas as despesas

Despesas com moradia
Aluguel: R$
Prestação da casa própria: R$
Condomínio: R$
IPTU: R$
Outros gastos 1: R$
Outros gastos 2: R$

Despesas da casa
Conta de luz: R$
Água: R$
Gás: R$
Diarista/Mensalista: R$
Supermercado/Feira: R$
Telefone (Fixo): R$
Assinatura TV a cabo internet: R$
Outros gastos 1: R$
Outros gastos 2: R$

Bens e serviços
Prestações: R$
Impostos: R$
Plano de saúde/odontológico: R$
Faculdade/colégio: R$
Plano de previdência: R$
Outras despesas 1: R$
Outras despesas 2: R$

Gastos variáveis
Alimentação: R$
Telefone celular: R$
Transporte: R$
Taxas de serviço financeiros: R$
Outros gastos 1: R$
Outros gastos 2: R$

Lazer
Clube/Academia: R$
Viagens: R$
Cinema/Teatro: R$
Restaurantes: R$
Presentes: R$
Outros gastos 1: R$
Outros gastos 2: R$

Gastos Extraordinários
Médico: R$
Dentista: R$
Manutenção da casa: R$
Manutenção do carro: R$
Opção 1: R$
Opção 2: R$
Opção 3: R$

Demonstrativo de Resultados em R$
(+) Receita
(-) Moradia
(-) Despesas da casa
(-) Bens e serviços
(-) Gastos Variáveis
(-) Lazer
(-) Gastos extraordinários
(-) Poupança

(=) Total:

Dicas para fazer com que as Finanças Pessoais se tornem boa para consigo mesmo e para a família

  • Defina prioridades: Pois nem sempre é possível atender todos os desejos e o da família.
  • Evite excessos e desperdícios: Planejar as compras antes de realizá-las pode resultar em uma bela economia aos bolsos.
  • Compartilhe responsabilidades com a família: Compartilhar a responsabilidade, envolvendo todos os membros nas decisões de compras do lar. É uma forma de educação financeira.
  • Faça pesquisa de preços: Este comentário é essencial para o planejamento financeiro familiar.
  • Não faça compras no supermercado com fome: Com fome, compra-se pelo instinto de saciá-la, levando produtos que não são necessários. Se possível, evite.
  • Ao fazer suas compras é importante lembrar que o comércio disponibiliza diferentes formas de pagamento. Evite comprometer seu orçamento e analise a necessidade da compra.
  • Compras à Vista: Opte por esta forma de pagamento. Pode obter bons descontos.
  • Compras à Prazo: Fique atento às taxas de juros cobradas no financiamento, compare o preço à vista com o total das parcelas e lembre-se que:
1. Mesmo no parcelamento sem acréscimo, geralmente estão embutidos altos juros.
2. Atrasos no pagamento da prestação de financiamento implicam multa de até 2% .
3. É assegurada ao consumidor a liquidação antecipada dos débitos, total ou parcialmente, mediante a redução proporcional dos juros e demais acréscimos.

Matemática Financeira e Orçamento Pessoal

A Matemática Financeira é uma ferramenta útil na análise de algumas alternativas de investimentos ou financiamentos de bens de consumo bem como no planejamento orçamentário das despesas pessoais.

A Matemática Financeira busca quantificar as transações que ocorrem no universo financeiro levando em conta a variável tempo. As principais variáveis envolvidas no processo de quantificação financeira são:

  • A taxa de juros,
  • O capital, e
  • O tempo.

A Matemática Financeira possui diversas aplicações no atual sistema econômico, algumas situações estão presentes no cotidiano das pessoas, como financiamentos de casa e carros, realizações de empréstimos, compras a crediário ou com cartão de crédito, aplicações financeiras, investimentos em bolsas de valores, entre outras situações.

Exemplo sobre Gerenciamento dos Gastos

Quando vê em uma propaganda: "Compre uma televisão à vista por R$ 3.000,00 ou a prazo em 6 parcelas de R$ 650,00" imediatamente responde: "A prazo, pois o pagar parcelado, em poucas vezes por mês, e em 6 meses não se vê pagar a divida."

Mas esquece de uma particularidade: 6 parcelas de R$ 650,00 equivale a R$ 3.900,00, que é 30% a mais do que a oferta á vista de R$ 3.000,00.

Situações como essas que se percebem como a matemática financeira é uma ferramenta útil na análise de algumas alternativas de investimento ou financiamento de bens de consumo.

Definições sobre Matemática Financeira.

Conceito de Juros: É uma compensação que se oferece à pessoa que emprestou o dinheiro, pela privação que esta pessoa está sofrendo durante o período em que ficou sem aquele capital.

Conceito de Capital: É o valor aplicado através de alguma operação financeira. Também conhecido como: Principal, Valor Atual, Valor Presente ou Valor Aplicado.

Todas as movimentações financeiras são baseadas no capital que possuí. Ao realizar um empréstimo a forma de pagamento é feita através de prestações mensais acrescidas de juros, isto é, o valor de quitação do empréstimo é superior ao valor inicial do empréstimo, a essa diferença da-se o nome de juros. Portanto juro é a correção do capital aplicado em prestação para ser liquidada em um período de tempo.

O orçamento para ser bem sucedido necessita fazer um bom planejamento financeiro. Pois, os maiores erros cometidos por pessoas que fazem o planejamento financeiro é criar metas muito difíceis logo de início. O que acontece é que por serem metas bem elevadas, ficam desmotivados quando as metas não são atingidas. Criar metas elevadas é muito importante, mas no início é melhor criar metas mais modesta e possíveis de concretização.

Maneira fácil de começar é fazer pequenos planos para curtos espaços de tempo. A partir destas pequenas conquistas passa para a meta seguinte. E estas pequenas metas vão contribuir para a grande meta que almeja atingir.

O orçamento familiar não é apenas "Anotar as despesas realizadas". O orçamento envolve: planejar, eleger prioridades, controlar seu fluxo de caixa. Enfim, o orçamento irá ajudá-lo a entender seus hábitos de consumo. A elaboração do orçamento familiar não é uma tarefa fácil, porém, é necessária para quem tem planos para o seu futuro e o de sua família.

Estabelecer objetivos comuns e conversar francamente sobre as finanças com a família é o caminho para que cada um esteja comprometido e faça sua parte. É a forma de garantir a estabilidade das finanças no presente, visando prevenir o futuro.

A importância do orçamento é identificar para onde está indo o dinheiro. Discrimine as despesas fixas: luz, gás, água, telefone, aluguel, condomínio, transporte, educação, assistência médica, alimentação, e outras. Considerem, também, despesas eventuais, conhecidas como variáveis, como: remédios, consertos em geral, cabeleireiro, oficina mecânica, lazer, vícios, prestações, taxas, impostos, cheques pré-datados e outras.

Com esse levantamento feito, deve projetar o orçamento para os próximos meses, considerando as despesas sazonais como volta às aulas, IPVA, licenciamento, datas comemorativas (Dia dos Pais, das Mães, dos Namorados, da Criança, Natal, Páscoa etc.), férias para a família. Lembre-se que elas podem representar um gasto substancial em seu orçamento.

Discrimine as receitas: salário, rendas, etc. e utilize o valor líquido recebido. Faça o balanceamento das receitas e despesas mensais: receitas (-) despesas. Reserve uma parcela de suas receitas para investimentos.

Ajustes do Orçamento

Identifique gastos que podem ser eliminados ou reduzidos. Não é fácil mudar hábitos da noite para o dia. Converse com a família. O aprendizado da severidade no trato das finanças e o atingimento de metas irão compensar os eventuais sacrifícios e descontentamentos passageiros.

Gerenciar os gastos

Ao fazer suas compras é importante lembrar que o comércio disponibiliza diferentes formas de pagamento. Evite comprometer seu orçamento, analise a necessidade da compra. Os investimentos devem ter objetivos definidos: fundo de emergência, férias, previdência, compra de automóvel, etc.

Os meios de pagamento

  • Cheque / cartão de débito: São ordens de pagamento à vista. Ao emiti-lo, lembre-se de que ele será descontado imediatamente.
  • Cheque pré-datado: É um acordo informal entre fornecedor e consumidor. Se for utilizá-lo como forma de pagamento, faça constar do pedido, da nota fiscal ou do orçamento os números dos cheques e as datas previstas para os descontos. Esta é a sua única garantia caso o fornecedor venha a depositá-lo antes do combinado.
  • Cheque especial: Evite entrar no limite do cheque especial, já que as taxas de juros costumam ser muito elevadas; não faça desse limite um segundo salário.
  • Cartão de crédito: Parcelado ou em 1 pagamento, o controle das despesas realizadas com cartão exige cuidados. Verifique a conveniência de ter mais de um cartão, não se esquecendo de incluir em seu orçamento, as anuidades do(s) cartão(ões). Pague a fatura integralmente na data do vencimento. Além da multa de até 2% por atraso no pagamento, os juros cobrados no parcelamento do saldo devedor são muito altos. Em situação de inadimplência, seu cartão poderá ser cancelado.

Com os cuidados do gerenciamento dos gastos proporciona a prosperidade começa com o controle do fluxo de caixa, seja para as Pessoas, para as Empresas ou para os Governos.

A prática do planejamento financeiro irá:

  • Liquidar mais cedo uma dívida pendente.
  • Poder guardar dinheiro para comprar o bem dos seus sonhos.

Consumo Responsável e Consciente

Consumo responsável significa adquirir produtos eticamente corretos, ou seja, cuja elaboração não envolva a exploração de seres humanos, animais e não provoque danos ao meio ambiente.

Efetuando compras corretas, a qual favorece a aquisição de produtos eticamente corretos e consequentemente realizarem negociações baseadas em princípios no bem comum, e não só na satisfação de interesses individuais, permitindo a negociação para o interesse próprio apenas para perpetuar algum bem comum além deste interesse.

Boicotes morais: é a pratica de evitar ou boicotar produtos que um consumidor achar que esta associada com procedimentos que não possui senso moral.

Consumo Consciente: É um movimento social que se baseia no aumento da consciência sobre as decisões das compras no meio ambiente e a saúde e vida em geral dos consumidores. Ele também está preocupado com os efeitos da mídia e das propagandas sobre os consumidores.

Quando se fala em Consumo, a primeira coisa que vem à mente é o simples ato de comprar, seja de maneira programada, por necessidade ou por impulso. A compra é apenas um dos sentidos deste conceito. Antes dela, têm que decidir o que consumir, por que consumir, como consumir e de quem consumir. Depois de refletir a respeito desses pontos é que deve-se partir para a compra. E após a compra, existe o uso e o descarte do que foi adquirido.

Precisa aprender a produzir e consumir os bens e serviços de uma maneira diferente da atual, visto que o modelo hoje utilizado de produção e consumo contribuiu para aprofundar alguns aspectos da desigualdade social e do desequilíbrio ambiental.

Consumir Consciente: É uma maneira de consumir levando em consideração os impactos provocados pelo consumo. Com isso, o consumidor pode, por meio de suas escolhas, buscar maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos dos seus atos de consumo, e desta forma contribuir com seu poder de consumo para construir um mundo melhor.

O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta, lembrando que a sustentabilidade implica em um modelo ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. Ele também reflete a respeito de seus atos de consumo e como eles irão repercutir sobre si mesmo, nas relações sociais, na economia e na natureza. Além disso, busca disseminar o conceito e a prática do consumo consciente, fazendo com que pequenos gestos de consumo realizados por um número muito grande de pessoas promovam grandes transformações.

O consumo consciente pode ser praticado no dia a dia, por meio de gestos simples que levem em conta os impactos da compra, uso ou descarte de produtos ou serviços. Tais gestos incluem o uso e descarte de recursos naturais como a água, a compra, uso e descarte dos diversos produtos ou serviços, e a escolha das empresas das quais compram, em função de sua responsabilidade sócio-ambiental.

Assim, o consumo consciente é uma contribuição voluntária, cotidiana e solidária para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

Praticando o consumo consciente

Isto consiste numa atitude de liberdade de escolha e de protagonismo da própria existência. É uma tomada de posição clara, democrática e ética. O consumo consciente fatalmente irá gerar uma reflexão e tal reflexão pelos consumidores deverá gerar uma cadeia de estímulos que irá contagiar positivamente as empresas e seus funcionários, sua família, colegas e amigos que, diante do exemplo, serão exercidos a refletir sobre os seus próprios atos de consumo.

Para ficar mais claro, será dado um exemplo simples. Deve ter ouvido falar que a água é um recurso natural escasso e que cerca de 30% da população mundial não tem acesso à água tratada de boa qualidade. Portanto, mesmo que consiga arcar com a conta de água, e, portanto possa, em princípio, gastar o montante de água que lhe satisfaça, tal fato trará como impacto a não disponibilidade de água, um recurso precioso e muito escasso, para um grande número de pessoas.

Além disso, antes da água chegar à sua torneira, ela é tratada. Esse tratamento custa dinheiro. Se você economizar, o volume de água tratada será menor e os custos serão mais baixos.

Caso contrário, para aumentar o abastecimento, o órgão competente terá de investir em novas estações de tratamento, que exigirão investimentos e usarão o dinheiro que poderia ser aplicado em outras áreas, tais como saúde, educação ou transporte.

Um outro ponto a considerar é que, se a água for usada em quantidade maior do que a realmente necessária, talvez as fontes usadas já não consigam atender a demanda. Se isso acontecer, as autoridades terão de buscar água mais longe, o que provavelmente vai encarecer o custo da água e vai dificultar o acesso a ela pelas populações de baixa renda.

Então, consumo consciente é:

  • Consumir diferente, tendo no consumo um instrumento de bem estar.
  • Consumir solidariamente, buscando os impactos positivos do consumo para o bem estar da sociedade e do meio ambiente.
  • Consumir sustentavelmente, deixando um mundo melhor para as próximas gerações.

Finalizando, o consumo consciente ou sustentável é um conceito bem mais aberto, que hoje está além da direção da economia, dos direitos do consumidor e da reciclagem de lixo. Não é uma postura reativa, mas leva o consumidor a se identificar como um protagonista dentro desse amplo contexto social, político e cultural.

O consumidor tem poder. Pode e deve usá-lo em benefício de uma sociedade mais sustentável. Ele parte da forma básica do cidadão consumidor para torná-lo um consumidor cidadão.

Em resumo o Consumidor Consciente

  • É aquele que busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta, lembrando que a sustentabilidade implica em um modelo ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável.
  • O consumidor consciente reflete a respeito de seus atos de consumo e como eles irão repercutir não só sobre si mesmo, mas também sobre as relações sociais, a economia e a natureza.
  • O consumidor consciente também busca disseminar o conceito e a prática do consumo consciente, fazendo com que pequenos gestos de consumo realizados por um número muito grande de pessoas promovam grandes transformações.
  • O consumidor consciente pratica no dia a dia atitudes que levam em conta os impactos da sua compra. Tais atitudes incluem o uso e descarte de recursos naturais como a água e a escolha das empresas das quais comprarem, em função de sua responsabilidade sócio-ambiental.
  • Assim, o consumo consciente é uma contribuição voluntária, cotidiana e solidária para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

Projeto de Vida

O Projeto de Vida é um plano colocado em papel para que possa visualizar melhor os caminhos que deve seguir para alcançar os objetivos. Para isso, necessita saber claramente quais são os objetivos e metas e, precisa ter em mente também quais são os valores, pois são eles que direcionarão a vida.

Se as metas não estiverem em relação adequada com os valores mais profundos, dificilmente as pessoas estarão satisfeitas com a vida. Mesmo alcançando as metas, se elas não estiverem em harmonia com o que realmente o coração pede, sentirá um vazio interior que poderá deixar confusos e sem direção.

Dessa forma, conhecer-se, saber o que a vida realmente significa e conhecer os valores humanos é de fundamental importância no planejamento realizar o Projeto de Vida. Os valores também podem estar livres para serem modificados, pois à medida que o ser humano evolui, os valores também evoluem. Lembre-se que nada é estático. Tudo muda.

É muito importante para todos os seres humanos saber para onde vai e como vai chegar a algum destino. As empresas de sucesso têm conseguido sobreviver e vencer, estabelecendo uma visão de futuro bem definida e estabelecendo estratégias para construir o sucesso esperado. As pessoas não são diferentes das empresas. Se olhar por um ângulo amplo, vai perceber que todas as pessoas têm que definir de maneira clara a sua VISÃO DE FUTURO e precisar ter um PLANO DE AÇÃO que tornará real esta visão.

Todos os papéis que desempenha no cotidiano estão interligados aos padrões de comportamento a qual repetem-se em todas as esferas da vida. É preciso unir trabalho e vida pessoal partindo para um projeto de vida. Precisa pensar na vida como um projeto integrado, que envolva atividades e desejos, realizações e projetos. Para alcançar esse patamar é preciso metodologia, flexibilidade e revisão constante das atitudes. Mais ou menos como é feito nos processos empresariais.

Para alcançar o projeto de vida necessita:

O autoconhecimento é a base para iniciar esse processo. Quando conhece o próximo, é capaz de conduzir as ações de uma maneira positiva e fica-se mais atentos às autosabotagens tão comuns no ser humano.

O complemento das ações do autoconhecimento faz através destes questionamentos:

  • Quais são seus compromissos: o que faz? Por quer faz? Como faz? E o que sente?
  • Quais são meus valores de base?
  • Quais são meus pontos fortes?
  • Em que preciso melhorar?
  • Quais as oportunidades que vejo em minha carreira?
  • O que ameaça meus planos?
  • Quanto tempo dedico para planejar o futuro?
  • Tenho algum recurso financeiro para colocar meus projetos em prática?
  • O que sua realidade cotidiana exige de você?

Sonhando um novo mundo possível

  • Que qualidades deve ter uma pessoa?
  • Quais as condições para se realizar como gente?
  • Que projeto de humanidade você deseja ajudar a construir?
  • Como você imagina a sociedade ideal para todos viverem?
  • Como poderia ser a escola, a saúde, a moradia?
  • E a relação com o planeta?
  • Que projeto de sociedade sonha?

Caso responda todas essas questões de maneira responsável será possível desenvolver a MISSÃO pessoal de sucesso:

Assim como as empresas possuem sua missão com o objetivo de nortear sua existência, as pessoas também precisam elaborar a sua. Exemplo de missão elaborada para o ser humano:

  • A Missão é viver com tranquilidade e gerar qualidade material e emocional para mim e minha família, através de bons exemplos, comprometimento com a melhoria pessoal e focada na busca da excelência profissional e pessoal.

Realizado a Missão, deve buscar parcerias.

Sozinho será muito difícil cumprir a missão pessoal. Precisa ter apoiadores. Pode encontrar na família, no círculo de amigos ou nos parceiros de trabalho. Existirão também os apoiadores circunstanciais, como um professor que o ajudará a encontrar o equilíbrio e a disciplina ou aquele chefe que o orientará no desenvolvimento de suas tarefas.

O sucesso do projeto pessoal depende muito da relação com os apoiadores. Assim, é preciso gerenciar bem seus contatos. Faça uma lista de todas as pessoas que poderão lhe ajudar na realização de suas metas, o tipo de ações concretas em que eles poderão participar e as datas para sua execução.

Elaborar a VISÃO pessoal

Elaboração da visão para a vida é saber quem pode ajudar no projeto é o momento do estabelecimento de metas que pretende atingir em determinado período de tempo. Esta deve ser a visão de futuro.

Comece com uma visão de curto prazo; A visão de médio prazo auxilia na visualização do caminho a ser percorrido; A perspectiva de longo prazo oferece a visão geral das realizações a serem alcançadas.

Gerenciamento do Tempo

Procure fazer um bom uso do tempo, dividindo as atividades em urgentes e importantes. Não perca o foco com atividades que não agregam valor a vida. Faça um uso inteligente do e-mail e do telefone e estabeleça prazos para execução das atividades.

Cuide bem das finanças detalhe o orçamento e adote planilha ou sistema para o controle dos gastos mensais. Procure saber o quanto de dinheiro será necessário para executar o projeto pessoal. Fique atento as oportunidades de bons investimentos e ao mercado financeiro.

Saiba que os riscos existem na vida particular, assim como nas empresas, os riscos existem e precisam ser gerenciados de forma equilibrada. Junte todas as peças os fundamentos para o gerenciamento do projeto de vida o qual já conhece, agora é preciso unir as áreas e administrá-las ao mesmo tempo. Saiba que se uma delas falhar, as outras sofrerão consequências. Isto chama-se de efeito dominó. Há uma conexão forte entre elas, mas não há certo e errado. Faça o que for apropriado ao seu estilo de vida. Mas faça alguma coisa.

Revendo as atuações pessoais

  • O que lhe dá prazer nas coisas que realiza? (trabalho, estudo, lazer, serviços pastorais/ culturais ou sociais).
  • De que forma desenvolve essas atividades? Como gostaria de desenvolvê-las?
  • Em quais atividades gostaria de centrar as energias?

Revendo a vida pessoal:

  • Como anda a relação com sigo mesmo?
  • Como andam os relacionamentos? O que você faz que aproxima ou afasta das pessoas?
  • Construa uma rede de suas relações e coloque-se no centro e as relações que constrói: família, amigos, namoro, escola, trabalho, lazer, igreja, grupos culturais.
  • Quais são estas pessoas? O que elas pensam do mundo? O que elas pensam sobre sua atuação?
  • Quem é (são) a(s) pessoa(s) que mais incentiva você?
  • Que influência essas pessoas tem sobre o que deve mudar nestas relações?

As mudanças são uma constante e para se obter um bom desempenho em projeto de vida é preciso ter flexibilidade para adaptar-se a elas. Para isso, elabore planos com possibilidade de alteração.

  • Costuma refletir sobre a sua vida?
  • Costuma pensar nas suas escolhas?

Avaliar e reavaliar a vida é importante principalmente para resgatar a essência e autenticidade, tão obscurecida pelo excesso de números, porcentagens e tendências econômicas. Também pelo apelo acelerado, sofisticado e repetitivo da sociedade ao consumo.

Não é à toa que tantas pessoas ficam cada vez mais deprimidas. Um dos motivos é o desrespeito consigo mesmo, o excesso de cobranças e expectativas, que vão além dos limites pessoais. Não raro provocam o esquecimento de seus próprios sonhos e das suas particularidades.

Pense com a cabeça e com o coração

  • QUEM SOU?
  • O QUE JULGO IMPORTANTE?
  • COMO QUERO E POSSO CONTRIBUIR NO MUNDO?
  • O QUE POSSO ALCANÇAR?

A importância de se conhecer melhor

É importante reavaliar a vida e os objetivos de sonhos. Principalmente em relação ao trabalho esse é essencial resgatar se está corresponde ao que deseja, se faz feliz e condiz com a contribuição que quer dar ao mundo e à sociedade.

Vale a pena olhar para dentro de si mesmo e perceber o que sentir e como se sente no trabalho ou situação atual. O que pode ser feito para modificar a situação ou trazê-la mais próxima é:

Perguntas para o interior “EU”

  • Como esta sendo vista a vida profissional e social?
  • Como sente em relação ao que faz profissionalmente?
  • O que tem feito para capacitar e realizar profissionalmente?
  • Como tem garantido as questões básicas de sobrevivência: moradia, saúde, cuidado com corpo, lazer? Que recursos tem buscado para possibilitar esses direitos?
  • Com quem soma forças para conquistar estes direitos?

Assumindo algumas decisões

Depois de responder todas as perguntas, que decisões, atitudes ou ações concretas que pretende tomar nos seguintes aspectos:

  • Relacionamento familiar e relacionamentos afetivos.
  • Vida de estudo e preparação profissional.
  • Vida no trabalho.
  • Vida social, cultural e esportiva.
  • Vida diária.
  • Relacionamento consigo mesmo/a.
  • Relacionamento com Deus.

Isto não é negar ou esquecer as áridas situações sócio-econômicas que a sociedade atravessa, porém afirmar que o ser humano será feliz se tiver muito dinheiro e se estiver bem adaptado a um cargo ou condição de trabalho não é garantia de sucesso e satisfação.

Trabalho vai além de ter um emprego. Trabalhar é exercer uma ação no mundo, ação que modifica e mesmo sendo pequena tem valor e o transforma. Pensar no que quer pode modificar o mundo e isso só irá acontecer se todas as pessoas se conscientizarem em melhorar.

O trabalho é tão importante porque nesse processo de transformar o mundo também modificará e assim se dá a grande relação de: (re)construir o mundo ao mesmo tempo que as pessoas são (re)construídas por ele.

Um projeto de vida vale à pena quando o objetivo é a qualidade de vida! Afinal, o importante é ser feliz.

Dicas para se organizar financeiramente

  • Educação financeira traz bons retornos: Ainda que não exista no Brasil um estudo quantificando os benefícios da educação financeira, não é difícil entender os benefícios obtidos com ela. A manutenção de um bom histórico de crédito juntamente com o hábito de pesquisar as condições de financiamento oferecidas permite que a pessoa consiga financiar a taxas mais baixas.
  • A adoção de princípios básicos de planejamento e controle financeiro possibilita que alcance mais rapidamente e sem gastar tanto alguns dos seus objetivos de consumo, assim como possibilita uma maior folga no orçamento, o que, em última instância, traz maior tranquilidade à pessoa.

Esta estabilidade emocional reduz a impulsividade das decisões de consumo e investimento. Neste contexto, pode-se afirmar, sem qualquer sombra de dúvida, que o maior benefício da educação financeira é permitir que tenha controle da situação financeira. Algo que, efetivamente, não tem preço.

Dicas para a educação financeira

  • Organize suas despesas por data de vencimento e pague suas contas em dia, assim evita gastos desnecessários com multas e juros.
  • Pague sua fatura de cartão de crédito integral. Quando não for possível, pague ao menos o mínimo e não incorra em mais gastos no cartão.
  • Analise com atenção seu extrato bancário, observando possíveis cobranças indevidas ou uso excessivo do cheque especial. Veja se não existe um pacote de tarifas mais baixo, que inclua apenas os serviços que você efetivamente utiliza.
  • Acumule uma reserva financeira igual ou superior a três meses de despesas correntes. Portanto, para quem gasta constantemente R$ 500,0l por mês, isso equivale a acumular ao menos R$ 1.500,00 de poupança.
  • Siga à risca seu planejamento orçamentário. Basta um deslize para que você rapidamente acumule dívidas que depois demoram semanas ou até meses para pagar.
  • Mude seus hábitos de consumo e evite qualquer compra ou contratação de serviço antes de efetuar uma pesquisa comparativa de preços. Isso vale para tudo, até mesmo a contratação de produtos e serviços financeiros, como cartão de crédito, financiamentos, etc.
  • Não atrase o pagamento de prestações e procure manter um histórico de crédito positivo. Na hora de financiar, isso lhe garante condições mais favoráveis.
  • Poupe regularmente: primeiro, para montar uma reserva de emergência; depois, para garantir seu futuro.
  • Não se esqueça de se manter informado, pois conhecimento vale ouro. Se você acompanha o que está acontecendo ao seu redor, dificilmente tomará atitudes precipitadas ou emocionais na hora de gastar.

Para finalizar organizar-se financeiramente

  • Dedique um tempo para planejamento financeiro. Reserve um período na sua agenda para se organizar financeiramente.
  • Corte os gastos supérfluos, como o uso exagerado do celular.
  • Faça uma lista de compras antes de ir ao supermercado, a feiras e shoppings. Com isso, você evita gastos extras e desnecessários.
  • Tenha um controle mensal dos seus gastos. Elabore uma lista com todas as suas despesas.
  • Tenha um bom controle das compras com cartão de crédito.
  • Prefira o pagamento à vista, assim, o salário dos outros meses não fica comprometido e ainda há a possibilidade de descontos com essa opção de pagamento.
  • Evite o uso do cheque especial, uma vez que suas taxas são elevadas.
  • Adote o consumo consciente na sua casa. Diminua o tempo dos banhos, ensaboe a louça com a torneira desligada, apague a luz dos cômodos, nos quais não há ninguém, etc.
  • Antes de aderir a um financiamento, calcule as taxas de juros, dessa forma, será capaz de discernir se é um bom negócio ou não.
  • Gaste menos do que ganha. Conheça o próprio salário e planeje-se, para gastar um valor menor do que recebe.

Depois que realizou todo esse estudo e descobriu que está apto a ser um ótimo estrategista para cumprir com o orçamento familiar, leia o livro que complementa todo este estudo.

ENRIQUEÇA
SEM PERDER O VALOR E A DIGNIDADE
http://clubedeautores.com.br/book/38672--ENRIQUECA
Obra da coleção de Wagner Luiz Marques

Professor Dr. Wagner Luiz Marques e Família para todos os leitores de meus artigos. Obrigado.

Endereços eletrônicos: wagnercne1@gmail.com; wlmcne@hotmail.com; Endereço por correspondência: Wagner Luiz Marques Rua Fernão Dias, 1994 Zona 01 CEP- 87.200-000 Cianorte – Paraná. Telefone: 44-3629-5578 - Celular: 44-9977-6604.

Nenhum comentário: